quarta-feira, 23 de agosto de 2017

A mídia publica e compartilha o que dá acessos e clicks nas páginas. Eles sabem que aquela cantora, aquele humorista ou aquele youtuber tem conteúdos que não valem a energia elétrica que se gasta no computador ou na tv pra ver, que são produtos feitos para vender e que tem conteúdo zero, mas se causa algum rebuliço no povo, vira capa. Eu já deixei de seguir vários jornais e publicações desse tipo.

Então alguém me xingou dizendo: 
" Tu não pode querer que as pessoas gostem das mesmas coisas que tu gosta!"
Claro que não e como seria chato isso, todo mundo gostar das mesmas coisas. mas tem tanta gente talentosa que não tem seu devido espaço e tanta coisa boa pra ver que não precisamos achar que tudo o que passa na televisão aos domingos de tarde é sucesso e talento.
A nossa situação cultural tá tão caótica que é só ver o vídeos do Youtube os vídeos que estão em alta no Brasil. É vergonhoso.

Outra praga que tem se disseminado pelo país é o tal do politicamente correto. Isso é algo inventado por meia dúzia de idiotas e querem obrigar todo mundo a aceitar, sob olhares de xenófobo, racismo ou preconceito. Quer uns exemplos?

- Presos agora são são "Pessoas privadas de sua liberdade"
Como se a culpa não fosse deles próprios, mas de outrém, para estarem em prisões. Ouvi há algum tempo no Jornal do Almoço da RBS TV um advogado fazendo o infeliz comentário:

"Quando se tira a dignidade de uma pessoa a enviando á prisão...."
Como se fosse culpa da sociedade ou de todos nós que o sujeito estivesse preso ou que a dignidade do meliante valha mais do que de um trabalhador que não pode mais sair de casa á noite por causa dos assaltos. E a dignidade de quem mantém esse sistema todo funcionando?

O pior é a lavagem cerebral subjetiva, gradativa e subliminar que vai aos poucos moldando e minando a mente e a personalidade de quem não enxerga essa deturpação dos valores, e pior: sem deixar rastros para questionamentos....

"Trabalhamos em prol dos menos favorecidos.."
Bonita a frase se não tivesse uma subjetividade a caracterizar que, quem tem um carro, uma casa e um emprego, tem porque foi favorecido. Quem tem um carro, uma casa e um emprego, batalhou, trabalhou e estudou pra isso. 

Outra coisa que não me desce é o tal Feminicídio, termo imposto pelas feministas radicais de plantão. Não há como negar que os assassinatos e a violência contra a mulher são problemas sérios demais e são também em números alarmantes no país. Mas a palavra Homicídio não é crime conta um homem, mas contra o Hominídeo, figura do homem, seja de qualquer sexo que for. A imprensa aderiu o tal feminicídio pra agradar as feministas radicais, mas pra mim, pra mim é uma grande asneira.

Segundo os dicionários: Homicídio (do latim hominis excidium) é o ato que consiste em uma pessoa matar a outra.
Portanto feminicídio não existe.
 

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Vasculhando algumas caixas guardadas aqui em casa, encontrei uma coleção de revistinhas antigas , então escaneei tudo e mostro pra vocês..



A morte do Super Homem de 1992



Almanaque Disney Edição 121 de 1981

Almanaque Disney Edição 153

Almanaque Disney Edição 183 de 1986

Almanaque Disney Edição 186 de 1986

Almanaque Disney Edição 152 de 1984

Capitão América de Julho de 1989
 
Capitão América de Agosto de 1989
 
Capitão América de Dezembro de 1989
 
Capitão América com histórias de 1974 a 1990

Super Aventuras Marvel - Edição Comemorativa -  A Origem do Demolidor  com histórias de 1964 até 1990

Homem Aranha - Julho de 1990

Homem Aranha - Com três histórias de 1971

Homem Aranha - Junho de 1989

Homem Aranha - Novembro de 1989

Homem Aranha - Edição 166

Homem Aranha - de 1992

Mickey de 1986


 Zagor número 01 - A origem : Edição de 1989


Se você também leu ou lê ainda essas revistas com essas histórias incríveis que nos transportam á outros tempo, deixe seu comentário que eu respondo.
Toda a semana, uma coleção de fotos aleatórias, sem ligação nenhuma para você ver e até postar em sua redes sociais. 






































Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!